"Não Odiarei" de Izzeldin Abuelaish


Se há algo que não deixa de me admirar, é o poder que certos livros detêm.
Este “Não Odiarei” é sem dúvida um desses exemplos. Em meia dúzia de páginas conseguiu abrir os meus olhos para uma situação que se arrasta há inúmeros anos (décadas!) e que aprendi a ignorar, como muito provavelmente a grande maioria dos portugueses. Levou-me mesmo a procurar mais informação sobre o assunto, de forma a entender o que é exatamente o conflito Israelo-árabe, qual a sua origem e o que tem sido feito para tentar resolvê-lo.
A verdade é que todos os dias no noticiário lá aparecem notícias de mais umas quantas explosões no Médio Oriente, notícias que tão facilmente se tornaram para nós em ruído de fundo, tomando apenas atenção ao facto de termos de mudar de canal ou tapar os olhos à criançada pois certas imagens podem chocar. Mas lá por viverem longe de nós e de terem modos de vida e religião diferentes das nossas, não quer dizer que não sejam pessoas válidas, dignas de ter uma vida decente e a possibilidade de, como nós, educar os seus filhos em paz e harmonia.

A história de Izzeldin Abuelaish e da sua família é deveras impressionante. Este homem, um médico palestiniano que dedicou a sua carreira a ajudar casais inférteis a serem pais independentemente da sua origem (palestinianos ou israelitas, ricos ou pobres), defendeu sempre a conquista de um entendimento entre os dois povos pela via da Paz, do Amor e da Saúde.
Este homem, que em 2010 foi nomeado para o Prémio Nobel da Paz, é um verdadeiro exemplo da boa vontade, e apesar de todos os infortúnios que lhe foram lançados para cima, continua a defender com convicção a sua ideia sobre a PAZ.
Mas o que torna verdadeiramente extraordinário Izzeldin Abuelaish, o que o lançou para a boca do mundo, foi um acontecimento brutal que quase abalou a sua existência em 2009 - a morte de 3 filhas e uma sobrinha, durante a chamada Operação Chumbo Fundido ou o Massacre de Gaza. O chamado Médico da Paz, conseguiu entrar em contacto com um apresentador da televisão israelita seu conhecido que tomou a decisão de atender a chamada em direto, acabando por partilhar com o mundo a angustia daquele pai que apenas tentava proteger a sua família. Muito provavelmente graças a essa intervenção, os olhos do mundo se detiveram, e o terror que durava já desde meados de Dezembro cessou de imediato.
O conflito não terminou, mas o exemplo deste homem que envergonha qualquer um de nós que imediatamente (e justificadamente) gritaria vingança no lugar dele, faz-me acreditar que a Paz é passível de alcançar.
Uma das coisas que mais me marcou foi a sua resposta a uma pergunta que lhe fizeram após a morte das suas filhas: "Tu não odeias os israelitas?"
«Quais são os israelitas que devo odiar? Os médicos e enfermeiras com quem trabalho? Aqueles que estão a tentar salvar a vida da Ghaida e a visão à Shatha? Os bebés a quem assisti aos partos? Famílias como a dos Madmoony que me deram trabalho e abrigo quando eu era rapaz?»

Como disse no inicio, certos livros são poderosos. Abrem a nossa mente, a nossa alma, e fazem-nos pensar. Incitam-nos a procurar mais informações e a tentar ver todas as perspetivas sobre um determinado assunto.
Este é um livro que não devem deixar de ler.

Para mais informações sobre este livro podem consultar aqui.

0 comentários:

Mais um livro excecional!

A não perder!

Para os que gostam de thrillers...

Novo livro de Lesley Pearse!!

Um livro magistral!

Um livro magistral!
Neste livro, Jodi Picoult aborda temas como a raça, o privilégio, o preconceito, a injustiça e a compaixão.

O novo livro de Deborah Smith

Novo Thriller de Paula Hawkins

Uma história maravilhosa!

 

ASA

Quinta Essência

Planeta

Porto Editora

Bertrand

Lua de Papel

Chiado Editora

Oficina do Livro

Editorial Presença

Jacarandá

D. Quixote

Clube do Autor

Livros d'Hoje

Casa das Letras

Suma de Letras

Vogais

Saída de Emergência

Esfera dos Livros

TopSeller

Objetiva

Marcador

Visualizações de página na última semana

Copyright © 2005-2017 Blogger Template (Adapted by Fernanda Carvalho)