Em destaque: "A Americana Que Queria Ser Rainha de Portugal" de Ana Anjos Mântua

Quando D. Afonso, príncipe real, saiu do automóvel junto ao Paço Real de Sintra naquele ameno dia 8 de Junho de 1908, Nevada Hayes sentiu um calafrio e foi subitamente acometida por um pressentimento: um dia seria sua mulher. Um dia seria rainha de Portugal.

A incrível história de Nevada Hayes, Mulher de D. Afonso, Duque do Porto

Sinopse:
Nascida nos Estados Unidos, filha de um merceeiro, cedo percebeu que estava destinada a uma vida melhor. E lutou com todas as suas forças para a conseguir. Trabalhou em Washington e Nova Iorque, casou por amor e por interesse, teve um filho que abandonou, viveu em França, Itália, viajou por países exóticos, divorciou-se duas vezes e viu-se envolvida em vários escândalos. O seu nome fez correr tinta na imprensa, nomeadamente quando conseguiu casar com D. Afonso, apesar da recusa e indignação de D. Manuel, seu irmão e último rei de Portugal, então no exílio em Inglaterra. Tornara-se finalmente duquesa do Porto, princesa de Bragança.

Houve quem a retratasse como uma mulher fria, calculista, mal-educada, mas em A Americana Que Queria Ser Rainha de Portugal, Ana Anjos Mântua conta-nos a sua história para além do rol dos seus incontáveis defeitos. Através de uma investigação cuidada, a autora traz-nos um romance empolgante sobre esta extraordinária mulher, que se transformou ao longo da vida para se tornar uma das figuras mais admiradas e faladas pela imprensa internacional e pela aristocracia europeia da época. 

Nevada Hayes morreu a 11 de Janeiro de 1941, viúva do «seu amor» D. Afonso, e depois de ter conseguido reclamar ao Estado Português a herança que considerava sua por direito.


Pode começar a ler este livro aqui.


Sobre a autora:
Ana Anjos Mântua é licenciada em História, variante de História da Arte, e é pós-graduada em Arte, Património e Restauro pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Desde Maio de 2013, é Coordenadora da Casa-Museu Dr. Anastácio Gonçalves, em Lisboa. 

Anteriormente desempenhou funções de investigação e curadoria de exposições no Mosteiro dos Jerónimos/Torre de Belém e Museu Nacional do Azulejo. Em 2004, enquanto técnica superior do IPPAR-Instituto do Património Arquitetónico e Arqueológico, desenvolveu um projeto internacional de salvaguarda do património na Ilha de Moçambique. 

Tem vindo a publicar artigos nas áreas do património e do colecionismo, nomeadamente «As proveniências da Colecção e o Mercado de Arte em Portugal entre 1925 e 1965», in Coleccionar para a Res Publica, Lisboa, 2010; «O Coleccionismo e o Mercado de Arte em Portugal» (1910-1965), in Dicionário da História da I República e do Republicanismo, Assembleia da Republica, Lisboa, 2014; «As escolhas de um coleccionador», in Museus, Palácios e Mercado de Arte, SRIBE, Lisboa, 2014; «Nevada: a herdeira americana da família real portuguesa», in ARTIS: revista de História da Arte e Ciências do Património. Instituto de História da Arte da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, 2014. N.º 2.

0 comentários:

Um livro magistral!

Um livro magistral!
Neste livro, Jodi Picoult aborda temas como a raça, o privilégio, o preconceito, a injustiça e a compaixão.

O novo livro de Deborah Smith

Novo Thriller de Paula Hawkins

Uma história maravilhosa!

O livro sensação de 2017!

 

ASA

Quinta Essência

Planeta

Porto Editora

Bertrand

Lua de Papel

Chiado Editora

Oficina do Livro

Editorial Presença

Jacarandá

D. Quixote

Clube do Autor

Livros d'Hoje

Casa das Letras

Suma de Letras

Vogais

Saída de Emergência

Esfera dos Livros

TopSeller

Objetiva

Marcador

Visualizações de página na última semana

Copyright © 2005-2017 Blogger Template (Adapted by Fernanda Carvalho)