"Branco" de Rosie Thomas

Sinopse:
Um livro que nos mostra os limites do sacrifício humano, a auto-confiança, e o poder da compaixão.
Dois homens que enfrentam os seus demónios e uma mulher que persegue o seu próprio sonho. Para Sam MacGrath um encontro fugaz com uma jovem num voo turbulento, é o suficiente para lhe mudar a vida. Loucamente atraído por ela, segue o seu impulso e jura segui-la até ao Nepal. A jovem Finch Buchanan ingressa numa expedição aos Himalaias como médica, mas quando chega, reencontra um homem que nunca conseguiu esquecer. Al Hood fez uma promessa à filha: Se conquistar o pico desta montanha, deixará a escalada para sempre. O Evereste eleva-se sobre o grupo, lindo e silencioso. Contra as ameaças do clima e da altitude, ergue-se a paixão e a força de vontade. As relações intensas entre Finch, Al e Sam, começam a desenrolar-se... Perante tamanho desafio, as consequências podem ser trágicas.

A minha opinião:
Confesso que não entrei nesta leitura de boa vontade. O tema em si, não me atrai. Escaladas, alpinismo, Evereste, e expedições do género não me agradam lá muito. Mas como a autora em questão até já escreveu uns livritos em condições, e a oportunidade de o ler surgiu de uma pessoa cuja opinião muito estimo, embarquei nesta expedição.
Afinal, acabei por gostar da forma como me vi “enchouriçada” dentro de uma parka de neve e prestes a enfrentar o frio e a altitude, algo que na vida real não ía conseguir fazer. A antecipação da subida ao cume mais alto, os preparativos, as personagens, enfim, tudo estava descrito da forma mais simples e ao mesmo tempo específica, perfeita para um leigo como eu.
Mas na verdade, esta história vai muito para além de uma expedição ao Evereste. A autora consegue apresentar-nos um lado mais humano, através do grupo de personagens cujas vidas passam a estar interligadas. Foi aliás, o relato para além da escalada, e as consequências da mesma, que acabaram por me conquistar. O final, apesar de previsível, é também o único possível, por isso não me desiludiu.


(Obrigada querida Lígia por esta oportunidade!)

0 comentários:

Primeira leitura de 2018 = 8 estrelas!

Até onde vai uma mãe para proteger o seu filho?

Em 2017 apaixonei-me por uma Formiga.

Em 2017 apaixonei-me por uma Formiga.
No livro "Onde Cantam os Grilos"

Um livro magistral! Para mim, o melhor de 2017!

Uma leitura magnífica.

 

ASA

Quinta Essência

Planeta

Porto Editora

Bertrand

Lua de Papel

Cultura Editora

Oficina do Livro

Editorial Presença

Jacarandá

D. Quixote

Clube do Autor

Livros d'Hoje

Casa das Letras

Suma de Letras

Vogais

Saída de Emergência

Esfera dos Livros

TopSeller

Objetiva

Marcador

Visualizações de página na última semana

Copyright © 2005-2017 Blogger Template (Adapted by Fernanda Carvalho)