"O Meu Coração Entre Dois Mundos" de Jojo Moyes (OPINIÃO)

Sabem quando mergulhamos de tal maneira num livro que parece que estamos lá, caladinhos, pequeninos, a observar as cenas que se desenrolam debaixo do nosso olhar? Foi o que me aconteceu com este livro. Mas vamos por partes...

Primeiro, o título. A-do-ro! Retrata muito bem a história de Lou, ao longo de todo o livro! ;) Podem pensar que é um título demasiado óbvio, mas quando chegarem ao fim irão perceber o quão fidedigno ele se revela.

Depois, o facto de finalmente termos a história de Lou, sem o Will. Houve quem dissesse que o segundo livro, Viver Sem Ti, foi um bocado forçado, uma forma da autora "fazer render o peixe". Sem dúvida que foi uma história um pouco mais negra do que a primeira, pois Lou teve de lidar com os efeitos da perda de Will, mas sinceramente, agora com este terceiro livro, dá para perceber que foi um degrau na escada da vida de Lou Clark e que sem ele não seria possível chegar até aqui.

Neste novo livro, a vida de Lou arranca finalmente. Ela parte para Nova Iorque decidida a vingar na cidade que nunca dorme. Mas o risco é grande e a tarifa por vezes demasiado alta. Afinal, ela deixou para trás, não só o mundo que conhecia, como a família e o recém namorado. Muitas voltas e reviravoltas acontecem e é fascinante imaginá-las já com a Emilia Clarke (do filme Viver Depois de Ti) na pele de Lou Clark.


Para mim, este foi o melhor dos três livros. Lou é uma personagem original, criativa, efusiva e é impossível não nos apaixonarmos por ela. Adorei descobrir Nova Iorque com ela, e ficar a conhecer mais uma mão cheia de personagens fascinantes que contribuem em muito para o sucesso deste livro. Recomendo sem hesitações. É um daqueles livros que não vão querer terminar. ;) 

"Meu" de Susi Fox (OPINIÃO)

Quis ler este livro por uma simples razão. Quando fui ter o meu filho na MAC este era um dos meus maiores receios: que ele fosse roubado ou trocado. Não o perdi de vista, nem um segundo! Dormia com o braço por cima do berço ou com ele ao meu lado e só tomava banho quando o meu marido estava de visita e ficava com ele. São medos normais de mães de primeira volta, acho eu. Receios um pouco irracionais alimentados por histórias que ouvimos nas notícias ou vemos em filmes.

A história de "Meu" está muito bem contada. Narrada do ponto de vista da mãe, Sasha, transmite-nos na perfeição a sua desconfiança e frustração quando vê que não está a ser levada a sério por ninguém, incluindo o próprio marido. A sua impotência atingiu-me e levou-me a sentir raiva pelas instituições que em vez de defenderem as mulheres as atacam e / ou menorizam a importância das suas queixas. Fez-me lembrar um pouco aqueles casos de "histeria" que eram diagnosticados em mulheres e jovens "difíceis" nos séculos XVIII e XIX e cuja solução passava pelo internamento numa instituição psiquiátrica e tratamentos horríveis.

Para um livro de estreia, "Meu" está muito bem escrito. Ao que parece, numa das suas aulas de escrita criativa, o professor sugeriu que escrevessem sobre um sonho ou pesadelo, e foi o que a autora fez. Elaborou a história à volta de um pesadelo que teve sobre darem-lhe o bebé errado na maternidade, e segundo ela, toda a tensão psicológica foi fácil de transcrever pois sentiu-a na pele, acordando desse sonho com todos os sentimentos à superfície.

É um thriller psicológico que mexe fortemente com as nossas emoções. Atravessamos a leitura como se estivéssemos num túnel de vento, sempre a fustigar-nos com emoções violentas. Condoemo-nos por Sasha, e colocamo-nos facilmente na sua pele, levando-nos a experienciar a revolta e frustração que ela sente. Simultaneamente passa-nos de vez em quando um pensamento pela mente... e se não for bem assim? E se?...

Muito bom! Uma leitura que recomendo sem hesitações. Como sabem, um livro é bom quando nos provoca emoções fortes. E este é um desses!


P.S. Apesar do medo aquando do nascimento do meu filho não tinha mesmo de me preocupar. Pelo menos em relação a trocas. Não havia mais nenhum tão grande. 4,700 kgs e 54 cm. ;) Tinha praticamente 3 meses quando nasceu. Espreitam a foto dele com três dias. 


Em destaque: "As Flores Perdidas de Alice Hart" de Holly Ringland


Um romance sobre as histórias que deixamos por contar e sobre as que contamos a nós próprios para sobrevivermos.

Sinopse:
Alice tem nove anos e vive num local isolado, idílico, entre o mar e os canaviais, onde as flores encantadas da mãe e as suas mensagens secretas a protegem dos monstros que vivem dentro do pai. Quando uma enorme tragédia muda a sua vida irrevogavelmente, Alice vai viver com a avó numa quinta de cultivo de flores que é também um refúgio para mulheres sozinhas ou destroçadas pela vida. Ali, Alice passa a usar a linguagem das flores para dizer o que é demasiado difícil transmitir por palavras.
À medida que o tempo passa, os terríveis segredos da família, uma traição avassaladora e um homem que afinal não é quem parecia ser, fazem Alice perceber que algumas histórias são demasiado complexas para serem contadas através das flores. E para conquistar a liberdade que tanto deseja, Alice terá de encontrar coragem para ser a verdadeira e única dona da história mais poderosa de todas: a sua.

Críticas da Imprensa:
“O romance de estreia de Holly Ringland é dolorosamente belo, comovente e magistral. As Flores Perdidas de Alice Hart é um livro pelo qual nos vamos apaixonar, guardar e recordar durante muito tempo. Um dos melhores livros deste ano de uma autora que é um novo talento a não perder de vista. Holly Ringland é uma daquelas escritoras que nos tira o fôlego. Intemporal, encantador e poderoso” - Kate Leaver, jornalista e escritor

“Uma estreia surpreendente. As Flores Perdidas de Alice Hart é uma história sobre o amor, a perda, a traição e o poder redentor das histórias (...) Escrito com inteligência, elegância e sensibilidade, este é um romance simultaneamente triste e afirmativo que segue os passos de Alice e a forma como ela vai quebrando os padrões de violência inscritos no seu passado.” - Kate Forsyth, autora bestseller

“Há algo de transformador na história de Alice Hart, algo que fica connosco para sempre” - John Purcell, Booktopia

Sobre a autora:
Holly Ringland cresceu, rebelde e de pés descalços, no jardim tropical da mãe, no norte da Austrália. Quando tinha nove anos, a sua família viveu numa caravana durante dois anos, viajando de parque em parque natural, na América do Norte; uma experiência que despertou em Holly o interesse pelas culturas e histórias dos lugares. Já na casa dos vinte anos, trabalhou durante quatro anos numa comunidade remota indígena no deserto central australiano.  Mudou-se para Inglaterra em 2009 e fez uma especialização em Escrita Criativa na Universidade de Manchester em 2001.
Agora vive entre o Reino Unido e a Austrália.

"O Dia Em Que Te Perdi" de Lesley Pearse (OPINIÃO)

Estou sempre receosa que Lesley Pearse deixe de publicar livros. Há uns anos, quando tive a oportunidade de estar à conversa com ela durante algum tempo, confessou-me que andava cansada de escrever. Mas isto foi há quatro anos, e depois disso já publicou pelo menos uma mão cheia de livros! Esperemos que continue a escrever histórias maravilhosas que nos prendem e enchem o coração.

Em "O Dia Em Que Te Perdi" quer-me parecer que Lesley dá um certo abanão ao género. Ou seja, a parte de mistério que, desde quase sempre, tem sido uma presença constante nas suas histórias, assume neste livro uma presença mais marcante. Temos um adolescente desaparecido que deixa para trás uma irmã gémea, a mãe deles encontra-se internada num hospital psiquiátrico e o pai é um homem ausente, para além disso há uma estranha mulher ermita que se predispõe a ajudá-los. São ou não os ingredientes certos para uma boa história policial/thriller/mistério? Isto já para não falar do quão negro se torna à medida que a ação se vai desenrolando e corpos de miúdos raptados começam a surgir.

Para além disto, ou não fosse Lesley uma exímia contadora de histórias, há um lado mais sentimental, onde ela explora as relações entre os membros de uma família algo disfuncional e simultaneamente as dúvidas e problemas inerentes ao crescimento de uma adolescente nos anos sessenta.

As personagens são fabulosas e extremamente realistas, de tal forma, que não me admirava nada se ela se tivesse inspirado numa história real. Mas não, ao que parece há a menção a uma mulher, com algumas características comuns à mulher do bosque desta história, que existiu mesmo e que de alguma forma serviu de inspiração a Lesley.

Foi uma leitura muito cativante e mal consegui intervalar a leitura com as cenas habituais da vida. ;)
Recomendo! Lesley continua a ser uma das minhas autoras de eleição. 💛



"A Sereia de Brighton" de Dorothy Koomson (OPINIÃO)


Tenho acompanhado esta autora desde o seu primeiro livro. Já estive com ela por duas vezes na Feira do Livro de Lisboa e tive a oportunidade de a entrevistar. Para além de ser uma pessoa extraordinária, é igualmente uma autora extraordinária que se mantém em constante evolução, sendo que os seus livros são mesmo prova disso.

Este último “A Sereia de Brighton” deve ter sido um pesadelo para as editoras classificarem, porque me parece que a Dorothy Koomson se assume finalmente como autora de policiais e thrillers, já que este livro tem uma vertente mais forte dentro desse género do que os anteriores. Mas não me espanta. Era esse o caminho que ela nos indicou com os últimos livros. Acho, aliás, fabuloso poder acompanhar uma autora no seu caminho de autodescoberta.

Relativamente à história, posso dizê-lo que enquanto fã de policiais ela preenche todas as medidas. O enredo é cativante e está muitíssimo bem organizado sem que, no entanto, dêmos por isso, visto que a ideia de haver uma certa confusão sobre os factos é primordial para que a ação se desenvolva no sentido correto. As personagens, como sempre, são riquíssimas, incluindo as secundárias. Adorei a personagem principal, Nell, com as suas inseguranças e traumas mas simultaneamente tão determinada em descobrir o caso que a assombra há 25 anos. É sem dúvida uma história que gostaria de ver no grande écran. O final, que muitas vezes pode arruinar um policial, está muito bem engendrado e faz todo o sentido! Adorei!!

Foi uma leitura compulsiva e devorei este livro mais rapidamente do que o normal. Confesso que me senti orgulhosa ao ler esta autora que tanto acarinho e acompanho desde o princípio. Well done, Dorothy!

Em destaque: "Cada Suspiro Teu" de Nicholas Sparks


Inspirado numa história real.

Sinopse:
O acaso juntou duas pessoas numa praia.
Ela é Hope Anderson, nascida e criada na Carolina do Norte.
Ele é Tru Walls, guia de safaris no Zimbabué, onde nasceu.

Hope está a viver um momento difícil. A relação com o namorado já não a faz feliz e o pai acaba de receber um diagnóstico terrível. Sunset Beach é o local ideal para encontrar a paz de que necessita para refletir sobre a sua vida.

Tru está perante um momento revelador. Cresceu em África e nunca conheceu o pai. Em Sunset Beach, prepara-se para o encontrar pela primeira vez.

Quando os caminhos de Hope e Tru se cruzam, a magia acontece. Mas, por muito intensos que sejam os seus sentimentos, ambos sabem que terão de fazer uma escolha dilacerante. A praia que os uniu, vê-os, agora, partir. A areia cobre-lhes os passos, as marés seguem o seu ritmo ancestral… e uma carta resistirá ao tempo para ditar, um dia, o seu futuro adiado.

Inspirado numa história real, Cada Suspiro Teu fala-nos de um encontro que fica gravado a fogo no coração e na memória de duas pessoas de mundos opostos, transcendendo o tempo, os continentes, e o toque – por vezes agridoce – do Destino…




Sobre o autor:

Nicholas Sparks nasceu em Omaha, no estado do Nebraska, Estados Unidos, a 31 de dezembro de 1965. Licenciado em Finanças Empresariais pela Universidade de Notre Dame, escreveu o livro que deu início à sua carreira meteórica e um dos seus títulos mais famosos – O Diário da Nossa Paixão – com apenas vinte e oito anos. E, para alegria dos seus inúmeros fãs, nunca mais parou de contar as histórias que o consolidaram como um dos mais aclamados escritores da atualidade.

Todos os seus livros integram de imediato a lista de bestsellers do New York Times e estão traduzidos para mais de quarenta e cinco línguas, tendo vendido cerca de oitenta milhões de exemplares até à data. Leitor compulsivo e ávido praticante de desporto, Nicholas Sparks apoia ativamente diversas instituições de beneficência e contribui para o Programa de Escrita Criativa da Universidade de Notre Dame. Vive na Carolina do Norte, Estados Unidos, com a família.

Em destaque: "O Meu Coração Entre Dois Mundos" de Jojo Moyes

Lou Clark, a heroína de Viver depois de ti está de volta!

Sinopse:
Quando Lou Clark chega a Nova Iorque está convencida de que vai conseguir recomeçar uma nova vida e sente-se confiante para enfrentar todos os desafios, apesar dos milhares de quilómetros que a separam de Sam. Lou está determinada a aproveitar o mais possível a situação em que se encontra – vive e trabalha em Manhattan para uma família super-rica e vê-se inserida na alta sociedade nova-iorquina. E é assim que conhece Joshua Ryan, um homem que lhe traz recordações do passado. Em breve, Lou ver-se-á perturbada por aquele encontro, o que a leva a questionar-se sobre quem é a verdadeira Lou Clark e como poderá reconciliar as duas partes de um coração separado por um oceano.

Jojo Moyes dá vida, uma vez mais, a Lou Clark – a personagem de Viver depois de ti e Viver sem ti -, através de uma história que nos fala de lealdade, escolhas e, sobretudo, esperança.


Sobre a autora:
Jojo Moyes estudou Jornalismo e foi correspondente do jornal The Independent durante 10 anos, até se dedicar a tempo inteiro à escrita criativa. Foi uma das poucas escritoras a receber por duas vezes o prémio Romantic Novel of the Year, primeiro com Foreign Fruit (2003) e mais tarde com A Última Carta de Amor (2011).
É com o romance Viver Depois de Ti que Jojo Moyes alcança os tops de vendas nos 44 países onde o livro está publicado. Com mais de 12 milhões de exemplares vendidos, Viver Depois de Ti vê a sua adaptação ao cinema, para grande alegria dos seus leitores em todo o mundo.
Jojo Moyes escreveu até à data 14 romances, dos quais destacamos Silver Bay – A Baía do Desejo, Um Violino na Noite, Retrato de Família, A Última Carta de Amor, Viver Depois de Ti, O Olhar de Sophie e Viver Sem Ti, que figuram no catálogo da Porto Editora.

"As Ondas do Destino" Saga das Caraíbas - Livro II de Sarah Lark (OPINIÃO)

Guardei o primeiro livro desta saga para ler quando saísse o segundo, e agora que aconteceu, li os dois de seguida! Foi uma experiência fantástica, pois apesar de haver um certo refresh da primeira história, está muitíssimo bem integrado nesta nova história.

E o que aborda este novo livro? Se o primeiro nos levou a conhecer a Jamaica, este segundo leva-nos até à Ilha Hispaniola, hoje dividida em Haiti e República Dominicana, para onde viajou a jovem Deirdre, filha de Nora, após casar com Victor Dufresne.

Os Dufresne são uma das famílias mais influentes da parte francesa dessa ilha e através deles vamos conhecendo a realidade das plantações de tabaco que prosperam graças ao trabalho escravo.

A história, como é habitual nesta autora, está muitíssimo bem construída, sendo que incorpora na narrativa diversos eventos históricos reais fascinantes. As perturbações levadas a cabo por diversos piratas no mar das Caraíbas, e o princípio da revolução escrava são os pontos fulcrais. Fiquei mesmo surpreendida com as vívidas descrições das incursões levadas a cabo por um navio pirata. Este pormenor, que se mantém ao logo da história, associado às rebeliões de escravos lideradas pelo famoso Mackandal, dão a esta história uma ação que se revela surpreendente. Não conseguimos pousar o livro com facilidade, pois damos por nós imersos na narrativa em expetativa do que se vai seguir.


Resumindo, foi uma leitura fascinante! Adorei todos os pedacinhos desta história e recomendo sem hesitações para quem quer fugir um pouco à rotina dos dias. ;)

Obrigada à Marcador por continuar a apostar nesta autora!
💗



Este livro traumatizou-me! Mas estou à espera do segundo. ;)

Um livro maravilhoso, cujas personagens me marcaram.

Um livro fora de série! Fenomenal. :)

Um livro magistral! Para mim, o melhor de 2017!

Uma leitura magnífica.

 

ASA

Quinta Essência

Planeta

Porto Editora

Bertrand

Lua de Papel

Cultura Editora

Oficina do Livro

Editorial Presença

Jacarandá

D. Quixote

Clube do Autor

Livros d'Hoje

Casa das Letras

Suma de Letras

Vogais

Saída de Emergência

Esfera dos Livros

TopSeller

Objetiva

Marcador

Visualizações de página na última semana

Copyright © 2005-2017 Blogger Template (Adapted by Fernanda Carvalho)