"A Favorita do Rei" de Sandra Worth

Até há bem pouco tempo eu achava que não gostava de romances históricos. Incialmente até me recusava lê-los, pensando que não me iriam satisfazer, mas uma querida amiga, que simplesmente adora o género, insistia para eu que eu lesse este ou aquele, e aos poucos comecei a aperceber-me o quanto estava equivocada.
Um romance histórico pode ser absolutamente mágico, ao mesmo tempo que nos ensina sobre um determinado pedaço da História.

Neste caso abordamos a vida de Isabel, a Bondosa, rainha de Inglaterra, esposa de Henrique VII e mãe de Henrique VIII, que infelizmente não conseguiu educar segundo os seus princípios.
A história começa da forma mais enternecedora e ao mesmo tempo fascinante: um pai a brincar com a sua filha de 5 anos. Um pai que por acaso é rei e uma filha, que é na verdade a sua favorita e que vem a ter um papel tão importante na História de Inglaterra.
Escrito num tom informal, e narrado na primeira pessoa, atravessamos com Isabel de York, um conturbado século, pleno de tristezas, despedidas, lutas pelo trono e pela dinastia, traições e enganos. Esta rainha recebeu o cognome de Bondosa, pois durante a sua vida conseguiu amiúde interceder junto do marido, minimizando o terror do seu reinado.
A vida de uma rainha fascinante que se submeteu à vontade do destino, para o bem de Inglaterra, e que muito amou o seu povo. Uma rainha que vale bem a pena conhecer.
Muito bom!

Sinopse:

O destino de uma rainha é traçado a sacrifícios…

Ferozmente dedicada ao pai adorado e ao rei, Isabel de York, de dezassete anos, acredita que ele quis deixar a Inglaterra nas mãos de um dirigente justo e meritório. Como o jovem sucessor não está pronto para reinar, o poder passa para o tio de Isabel, Ricardo de Gloucester – um homem no qual a mãe nunca confiou. Pouco depois, Isabel receia que a sua própria confiança não se justifique. Após a subida de Ricardo ao trono, a família dela sofre desaires sucessivos e devastadores: o pai, já falecido, é exposto como um bígamo; ela e os irmãos são estigmatizados como bastardos; e os irmãos são presos pelo novo rei e, segundo consta, assassinados. Como pôde o pai acreditar num homem capaz de tamanha perfídia?
Mas numa noite fatídica, Isabel é levada a questionar todos os seus preconceitos. Através dos olhos da rainha consorte de Ricardo, que está doente, ela vê um homem digno de respeito e de uma adoração eterna. A dedicação dele ao povo inspira um amor proibido e acaba por dar a Isabel coragem para aceitar o seu destino, casar com Henrique Tudor e ser rainha.
Embora a sua alma pertença secretamente a outro, o seu coração pertence para sempre à Inglaterra...

0 comentários:

ALGUNS DOS TÍTULOS QUE MAIS ME AGRADARAM NOS ÚLTIMOS TEMPOS

ALGUNS DOS TÍTULOS QUE MAIS ME AGRADARAM NOS ÚLTIMOS TEMPOS

Um dos melhores do ano!

Os Testamentos - a sequela de A História de uma Serva

Os Testamentos - a sequela de A História de uma Serva
Leu o livro? Viu a série? O que espera para ler a sequela? Um final surpreendente para Gilead, e uma obra incrível vencedora bem merecida do Booker Prize.

Uma leitura obrigatória!

Uma leitura obrigatória!
“Moyes dá vida a um pedaço da história muitas vezes esquecido. (…) Uma carta de amor ao poder dos livros e da amizade.” Kirkus Review

Uma leitura imprescindível!

Leia o livro e depois veja o filme. Uma história verídica a não perder.

O clube de leitura do meu coração.

 

ASA

Quinta Essência

Planeta

Porto Editora

Bertrand

Lua de Papel

Cultura Editora

Oficina do Livro

Editorial Presença

Jacarandá

D. Quixote

Marcador

Clube do Autor

Livros d'Hoje

Casa das Letras

Suma de Letras

Vogais

Saída de Emergência

Círculo de Leitores

Esfera dos Livros

TopSeller

Objetiva

Visualizações de página na última semana

Copyright 2005-2019 Blogger Template Ipietoon (Adaptado por Fernanda Carvalho - a escrever sobre livros desde 2005)