"A Mulher à Janela" de A. J. Finn (Opinião)

Como cinéfila que sou, aprecio os grandes clássicos de Hollywood, com os filmes de Hitchcock a encimar a lista, ou não fosse eu igualmente fã de thrillers. Portanto, assim que vi o título deste livro a minha memória saltou logo para o filme "A Janela Indiscreta" com o James Stuart e a Grace Kelly. (Não sei se viram, mas se não viram, têm de ver!)

E pelo que percebi ao ler este livro, A.J. Finn é igualmente um fã desses filmes clássicos, já que os referencia constantemente. Essa foi sem dúvida uma das mais valias deste livro: a forma como o autor introduziu cenas dos filmes na história. A personagem principal passa o tempo a ver esses filmes e os mesmos chegam a influenciar o seu pensamento, e claro, a baralhar por completo o leitor. Só sei que fiquei com vontade de ver e rever os filmes mencionados. :)

Bem, apesar de toda a influência "negra" de Hitchcock, "A Mulher À Janela" é um thriller moderno, também negro, mas à sua maneira.  

Ana Fox, a personagem principal está fechada em casa há 10 meses, sofrendo de agorafobia, para além de outras condições algo psicóticas, que não sabemos se relacionadas com um determinado evento no passado, ou se com a mistura de medicação e bebidas alcoólicas que ela não se coíbe de ingerir. No entanto, e apesar de a vermos (des)governar a sua vida como um carro sem travões desfiladeiro abaixo, ela é uma mulher inteligente, que tem consciência dos seus atos e não arranja desculpa para os mesmos. É quase como se ela estivesse deliberadamente a querer destruir-se.

Uma vez que Anna não sai de casa, tem pouco com que se entreter. Vê filmes, tem uma vida online mais ou menos ativa, e bisbilhota a vida dos vizinhos através das suas janelas. E é aí que surge o problema. Um dia ela vê, ou acha que vê, acontecer um crime - a mulher do vizinho a ser morta, embora não tenha visto o assassino. A partir daí as cenas sucedem-se em catadupa e a tensão vai subindo à medida que são envolvidos outros personagens e a dúvida aumenta. Será que aconteceu mesmo?

Gostei da forma como o livro está escrito. Apesar de achar que tem algumas páginas a mais (a 1/3 do livro a ação a modos que fica a marinar), pareceu-me que o autor conseguiu escrever um bom thriller negro, com inspiração Hitchcockiana. Confesso que fiquei surpreendida com o final. Não estava mesmo nada à espera...

Recomendo. Se querem ser surpreendidos, mas tentar à mesma descobrir o que aconteceu, vale a pena lerem este livro. 

Para mais informações, incluindo o um vídeo do autor a falar sobre o livro, convido-vos a visitar a página do mesmo no site da Editorial Presença.

0 comentários:

ALGUNS DOS TÍTULOS QUE MAIS ME AGRADARAM NOS ÚLTIMOS TEMPOS

ALGUNS DOS TÍTULOS QUE MAIS ME AGRADARAM NOS ÚLTIMOS TEMPOS

Um dos melhores do ano!

Os Testamentos - a sequela de A História de uma Serva

Os Testamentos - a sequela de A História de uma Serva
Leu o livro? Viu a série? O que espera para ler a sequela? Um final surpreendente para Gilead, e uma obra incrível vencedora bem merecida do Booker Prize.

Uma leitura obrigatória!

Uma leitura obrigatória!
“Moyes dá vida a um pedaço da história muitas vezes esquecido. (…) Uma carta de amor ao poder dos livros e da amizade.” Kirkus Review

Uma leitura imprescindível!

Leia o livro e depois veja o filme. Uma história verídica a não perder.

O clube de leitura do meu coração.

 

ASA

Quinta Essência

Planeta

Porto Editora

Bertrand

Lua de Papel

Cultura Editora

Oficina do Livro

Editorial Presença

Jacarandá

D. Quixote

Marcador

Clube do Autor

Livros d'Hoje

Casa das Letras

Suma de Letras

Vogais

Saída de Emergência

Círculo de Leitores

Esfera dos Livros

TopSeller

Objetiva

Visualizações de página na última semana

Copyright 2005-2019 Blogger Template Ipietoon (Adaptado por Fernanda Carvalho - a escrever sobre livros desde 2005)