"A Casa das Meninas Indesejadas" de Joanna Goodman (OPINIÃO)

Adoro histórias baseadas em factos reais, e "A Casa das Meninas Indesejadas" preencheu-me as medidas. A autora inspirou-se na infância da sua própria mãe para escrever uma história extraordinária. Partiu-se-me o coração ao ler este livro.

É uma história com diversas camadas, em que são abordados temas de grande interesse, como a tolerância (ou intolerância, neste caso), a religião, a história da saúde mental no Canadá, os orfanatos, o lugar das mulheres na sociedade, e acima de tudo as relações familiares, onde o sangue muitas vezes fala mais alto.

Nos anos 50, num ainda tão jovem Canadá (com menos de 100 anos), as rivalidades entre francófonos e anglófonos eram ainda muito visíveis. A nível político, essa divisão aviva ainda mais as diferenças. O Quebec foi durante alguns anos (os chamados Anos Negros) governado por um primeiro ministro ultra conservador - Maurice Duplessis -  que ficou conhecido pelas piores razões. Uma das suas implementações políticas, de forma a obter mais benefícios financeiros para o Quebec em descuramento das necessidades do povo, foi transformar todos os orfanatos em instituições psiquiátricas. Milhares de crianças orfãs foram falsamente diagnosticadas como doentes mentais, sendo-lhes negado os mais primordiais direitos, o da educação, o da alimentação e saúde, e acima de tudo, a possibilidade de virem a ser adotadas.

A história da jovem Maggie e da sua filha Elodie está muitíssimo bem contada, saltitando entre épocas e lugares, quebrando de certa forma o peso da parte mais complicada, a de Elodie, que é veramente revoltante.

Um pormenor que muito me agradou na história foi a loja de sementes do pai de Maggie. A analogia entre as sementes e a vida está sempre presente ao longo da história.

Não é um livro lamechas, embora no final assim o pareça - valeu-me a caixa de lenços enquanto o terminava! - mas, acreditem, é "daqueles" livros. Aprendi imenso sobre a história do Canadá, revoltei-me com as injustiças perpetradas contra a pequena Elodie, condoí-me com a vida de Maggie até reencontrar o seu amor, e claro, rejubilei com o encontro entre mãe e filha. Numa palavra: adorei! É mesmo daqueles livros que tão cedo não vou esquecer.

0 comentários:

ALGUNS DOS TÍTULOS QUE MAIS ME AGRADARAM NOS ÚLTIMOS TEMPOS

ALGUNS DOS TÍTULOS QUE MAIS ME AGRADARAM NOS ÚLTIMOS TEMPOS

Será o final de Chocolate? Tire as suas dúvidas.

Provavelmente o melhor livro do ano!

Um excelente thriller!

Leia o livro e depois veja o filme. Uma história verídica a não perder.

Uma leitura magnífica.

Tirem as dúvidas. E riam-se com a loucura de Alvie Knightly!

O clube de leitura do meu coração.

 

ASA

Quinta Essência

Planeta

Porto Editora

Bertrand

Lua de Papel

Cultura Editora

Oficina do Livro

Editorial Presença

Jacarandá

D. Quixote

Marcador

Clube do Autor

Livros d'Hoje

Casa das Letras

Suma de Letras

Vogais

Saída de Emergência

Círculo de Leitores

Esfera dos Livros

TopSeller

Objetiva

Visualizações de página na última semana

Copyright 2005-2019 Blogger Template Ipietoon (Adaptado por Fernanda Carvalho - a escrever sobre livros desde 2005)