"A Quinta do Pinheiro" de Adelaide Passos (OPINIÃO)

Foi o primeiro livro que li desta autora. Admirei o pormenor da capa, lindíssima, e o título a chamar-nos para nos contar uma história. Mas não encontrei exatamente o que estava à espera. As expectativas por vezes estragam-nos as leituras, e acho que foi o que aqui aconteceu. O livro não conta a história da Quinta do Pinheiro, mas sim a vida dos que abalaram dali rumo ao desconhecido, deixando para trás uma mãe só com os seus sonhos.

A história desta família divide-se em duas partes, o passado e o presente. Na primeira parte o relato começa com Angélica e Joaquim, que decidiram emigrar para o Brasil e ali começar uma nova vida. Regressam anos mais tarde para Portugal e instalam-se na Quinta do Pinheiro, no Douro. Pouco tempo depois, começa o martírio desta mulher que vê o marido partir novamente para as terras de Vera Cruz, onde vem a falecer, deixando-a sózinha com os filhos em Portugal. Entretanto os miúdos crescem e também eles partem, à vez, em busca de fortuna e aventura noutros países. Gostei da forma como a autora foi contando a história de um filho, que emigrou para o Brasil e depois do outro, que emigrou para Moçambique - as vidas de ambos, a forma como encontraram as suas esposas e mais tarde a sua descendência.

A segunda parte acontece bastantes anos mais tarde, quando as descendentes de Angélica, sentem um apelo para visitar a Quinta do Pinheiro, casa de família que nunca tinham visitado. Camila, neta, vem de África e Vitória, do Brasil. Ali, com a ajuda de uma sobrinha que ficou como guardiã da quinta, ambas encontram o que procuravam, um sentido para as suas vidas e o retomar dos laços familiares, com a certeza de que algures a sua avó Angélica continua a abençoar aquele lar.

Apesar de ter gostado do desenvolvimento que a autora deu ao percurso desta família no estrangeiro, senti que faltou alguma profundidade à história da vida de Angélica na Quinta do Pinheiro. Era isso que eu estava à espera - até porque a capa assim o dá a entender - e que por essa razão me soube a pouco. É, no entanto, uma história interessante, bem escrita e organizada, com algumas personagens muito verosímeis e bem trabalhadas, que me deixou curiosa sobre as outras publicações da autora.

De louvar, no entanto, que a autora tenha decidido, por motivos que lhe são muito próximos, dedicar os lucros dos seus livros ao trabalho do Centro de Investigação de Tumores Cerebrais do Instituto de Medicina Molecular. 

0 comentários:

ALGUNS DOS TÍTULOS QUE MAIS ME AGRADARAM NOS ÚLTIMOS TEMPOS

ALGUNS DOS TÍTULOS QUE MAIS ME AGRADARAM NOS ÚLTIMOS TEMPOS

Um dos melhores do ano!

Os Testamentos - a sequela de A História de uma Serva

Os Testamentos - a sequela de A História de uma Serva
Leu o livro? Viu a série? O que espera para ler a sequela? Um final surpreendente para Gilead, e uma obra incrível vencedora bem merecida do Booker Prize.

Uma leitura obrigatória!

Uma leitura obrigatória!
“Moyes dá vida a um pedaço da história muitas vezes esquecido. (…) Uma carta de amor ao poder dos livros e da amizade.” Kirkus Review

Uma leitura imprescindível!

Leia o livro e depois veja o filme. Uma história verídica a não perder.

O clube de leitura do meu coração.

 

ASA

Quinta Essência

Planeta

Porto Editora

Bertrand

Lua de Papel

Cultura Editora

Oficina do Livro

Editorial Presença

Jacarandá

D. Quixote

Marcador

Clube do Autor

Livros d'Hoje

Casa das Letras

Suma de Letras

Vogais

Saída de Emergência

Círculo de Leitores

Esfera dos Livros

TopSeller

Objetiva

Visualizações de página na última semana

Copyright 2005-2019 Blogger Template Ipietoon (Adaptado por Fernanda Carvalho - a escrever sobre livros desde 2005)