Opinião: "A Porta" de Magda Szabó

Este foi o livro sugerido para o mês de junho no meu clube de leitura. Gosto de ser desafiada para ler coisas que provavelmente não me chegaria às mãos. Foi exatamente o caso. Por isso é que é tão interessante fazermos parte de um grupo com pessoas de diferentes gostos literários, que partilham opiniões, sugerem leituras e comungam da mesma paixão pelos livros. Neste caso bem haja à Tânia Figueira, por nos ter sugerido este belo livro.

Não conhecia a autora, Magda Szabó, mas tão cedo não irei esquecê-la. Faleceu em 2007 e foi uma importante escritora húngara e uma das vozes mais importantes da Literatura europeia do século XX. Em 1948 publicou dois livros de poesia, mas a seguir, por razões políticas, a censura não lhe permitiu publicar mais nenhuma obra. Mais tarde, em 1958 conseguiu voltar à cena literária, e publicou romances, género em que ficou conhecida. 

O mais famoso desses romances é A Porta, o livro que agora vos trago.

O que faz um grande escritor ou uma grande obra, perguntamo-nos tantas vezes, sem nunca conseguir responder concretamente à pergunta. Este livro é um bom exemplo para iniciar uma discussão sobre esta questão. Como é possível um livro com uma história tão banal, tão estranha, tão simples, se revelar uma obra tão monumental? Não sei responder. E aposto que vocês também não. É o segredo de um bom escritor.

Com um tom algo intimista, quase confessional, a autora conta-nos a história de duas mulheres húngaras que desenvolvem uma estranha amizade nos anos do pós-guerra. Uma delas é Magda, uma jovem escritora, e a outra a sua empregada Emerence. 

A grande protagonista da história é Emerence, uma das personagens mais estranhas e enigmáticas com quem me cruzei. Longe de se revelar a camponesa analfabeta que na realidade é, Emerence demonstra ter uma nobreza de espírito e um altruísmo nada convencional. Todo o seu comportamento é levado ao extremo, quer para o bem, quer para o mal. A relação entre as duas mulheres é algo que ultrapassa a lógica da amizade, mas que nos leva a refletir.

Acredito que algures, entrelinhas, a autora nos está a contar uma outra história. Uma história mais crua e triste, sobre a sua própria experiência com a política do seu país. Talvez por essa razão A Porta se tenha tornado num dos seus mais importantes romances.

Recomendo. Foi uma leitura surpreendente. 

Mais informações aqui.

0 comentários:

ALGUNS DOS TÍTULOS QUE MAIS ME AGRADARAM NOS ÚLTIMOS TEMPOS

ALGUNS DOS TÍTULOS QUE MAIS ME AGRADARAM NOS ÚLTIMOS TEMPOS

Um dos melhores do ano!

Os Testamentos - a sequela de A História de uma Serva

Os Testamentos - a sequela de A História de uma Serva
Leu o livro? Viu a série? O que espera para ler a sequela? Um final surpreendente para Gilead, e uma obra incrível vencedora bem merecida do Booker Prize.

Uma leitura obrigatória!

Uma leitura obrigatória!
“Moyes dá vida a um pedaço da história muitas vezes esquecido. (…) Uma carta de amor ao poder dos livros e da amizade.” Kirkus Review

Uma leitura imprescindível!

Leia o livro e depois veja o filme. Uma história verídica a não perder.

O clube de leitura do meu coração.

 

ASA

Quinta Essência

Planeta

Porto Editora

Bertrand

Lua de Papel

Cultura Editora

Oficina do Livro

Editorial Presença

Jacarandá

D. Quixote

Marcador

Clube do Autor

Livros d'Hoje

Casa das Letras

Suma de Letras

Vogais

Saída de Emergência

Círculo de Leitores

Esfera dos Livros

TopSeller

Objetiva

Visualizações de página na última semana

Copyright 2005-2019 Blogger Template Ipietoon (Adaptado por Fernanda Carvalho - a escrever sobre livros desde 2005)