Opinião: "A Lista dos meus Desejos" de Grégoire Delacourt

Conhecem Miguel Araújo (o da música Os Maridos das Outras)? Ele tem uma outra música que me veio à ideia assim que comecei a entrar na história deste livro. Se não conhecem aconselho-vos a procurar e a ouvi-la. A letra é absolutamente deliciosa. Aqui a partilho:

«Eu quero a vida pacata que acata o destino sem desatino
Sem birra nem mossa, que só coça quando lhe dá
comichão
À frente uma estrada, não muito encurvada,
atrás a carroça
grande e grossa que eu possa arrastar sem fazer pó no
chão
e já agora a gravata, com o nó que me ata bem o
pescoço
para que o alvoroço, o tremoço e o almoço demorem a
entrar
quero ter um sofá e no peito um crachá, quero ser
funcionário
com cargo honorário e carga de horário e um ponto a
picar.

Vou dizer que sim, ser assim assim, assinar a Reader’s
Digest
haja este sonho que desde rebento acalento em mim
ter mulher fiel, filhos, fado, anel, e lua de mel em França
abrandando a dança, descansado até ao fim

Quero ter um T1, ter um cão e um gato e um fato escuro,
barbear o rosto, pagar o imposto, disposto a tanto.
Quem sabe amiúde brindar à saúde com um copo de
vinho,
saudar o vizinho, acender uma vela ao santo.
Quero vida pacata, pataca, gravata, sapato barato
basta na boca uma sopa com pão, com cupão de desconto
emprego, sossego, renego o chamego e faço de conta
fato janota, quota na conta e a nota de conto.

Vou dizer que sim ser assim assim assinar a Reader’s
Digest
haja este sonho que desde rebento acalento em mim
ter mulher fiel, filhos, fado, anel, e lua de mel em
França
abrandando a dança, descansado até ao fim.»

Bem, isto para dizer que uma vida simples e pacata é para muitos de nós o suficiente para sermos felizes.
O que neste livro de Grégoire Delacourt se aborda é a diferença entre uma vida simples e pacata em comparação com uma vida diferente, desafogada, sem grandes desafios, e os bolsos recheados de 18 milhões de euros.
Muitos de nós já com toda a certeza sonhámos, “ai o que eu faria se ganhasse o euromilhões…” mas e o que aconteceria realmente à nossa vida? Seríamos felizes sem as pequenas batalhas que temos de ganhar diariamente? Conseguiríamos atingir aquele estado de alegria quando finalmente compramos algo que já há muito almejávamos e para o qual andámos a poupar? Seríamos vistos pelo que seríamos ou pelo que teríamos?
Gregoire Delacroux pega neste tema fascinante e cria uma história deliciosa sobre uma mulher simples, com uma vida pacata que ganha 18 milhões de euros de um dia para o outro. São fascinantes as suas considerações, e realistas as conclusões.

Mas a verdadeira pérola que é este livro, esconde-se por entre as letras pretas no papel branco. Escrito com uma delicadeza e harmonia entre palavras que é raro de encontrar, peca apenas pela sua pequenez, pois dava vontade de continuar a ler, e ler, e ler…
Um livro que recomendo sem hesitações!


Muito obrigada à Suma de Letras por esta publicação e parabéns pela encadernação. É um verdadeiro mimo!

Para mais informações sobre este livro podem espreitar aqui.

0 comentários:

Diane Chamberlain... já conhece esta autora?

Sveva Casati Modignani

Paulo Coelho está de volta!

Jojo Moyes - novo livro!

A não perder...

Novo livro

 

ASA

Quinta Essência

Planeta

Porto Editora

Bertrand

Lua de Papel

Chiado Editora

Oficina do Livro

Editorial Presença

Jacarandá

D. Quixote

Clube do Autor

Livros d'Hoje

Casa das Letras

Suma de Letras

Vogais

Saída de Emergência

Esfera dos Livros

TopSeller

Objetiva

Marcador

Visualizações de página na última semana

Copyright © 2005-2016 Blogger Template (Adapted by Fernanda)