"O Dia em que Perdemos a Cabeça" de Javier Castillo (OPINIÃO)

Este é um livro que tem por trás uma história interessante: a do seu autor e de como foi publicado. Tudo começou quando Javier Castillo teve um sonho muito estranho e ao acordar percebeu que poderia utilizá-lo como cena inicial de um thriller. Imediatamente pôs as mãos à obra. Durante oito meses, no percurso diário de casa para o emprego e regresso - uma viagem de comboio com a duração de 45 minutos para cada lado - Javier escreveu, escreveu e escreveu. Quando finalmente terminou, enviou o manuscrito a três editoras - duas não responderam e a terceira deixou-o em stand-by. Decidiu então aventurar-se e publicou o livro em formato digital na Amazon.

Simultaneamente, a sua mulher tinha criado um vlog no YouTube (JustCoco Vlogs) onde debitava cenas da sua vida e do seu marido, incluindo as suas aventuras literárias... Se inicialmente JustCoco arrancou com 100 subscritores, de repente viu-se com 440.000 e sem dar por isso o livro de Javier escapou-se-lhe das mãos, chegando aos 40.000 exemplares vendidos na Amazon. É claro que perante estes números não há editora que não mostre interesse e em breve, após alguma análise, surgiu a versão em papel.

Contei-vos isto para que percebam como por vezes se faz um sucesso editorial. Se na grande maioria das vezes é através da publicidade criada pelas editoras, outras vezes, como neste caso, acaba por ser ao contrário. A fama do livro e da história de Javier, "o rapaz do comboio" precederam o trabalho da editora. 

Em relação ao livro, posso dizer que cumpre o que promete. É um thriller do início ao fim. Com capítulos curtos e eventos chocantes a facilitar a leitura galopante, pareceu-me um bom inicio de carreira para Javier Castillo. Inúmeras vezes dei por mim a exprimir surpresa com um sonante "Oh!", principalmente no final dos capítulos. Semelhante às séries que nos gostam de deixar em suspense de um episódio para o outro, estão a ver?

Parece-me no entanto que Javier terá de melhor um pouco a sua escrita, principalmente a parte dos diálogos, que soam um pouco forçados. Mas não há dúvida que o encadeamento dos acontecimentos e a sucessão das personagens, que é algo muito importante neste género, está muito bem conseguido. 

Foi uma leitura muito cativante, que me manteve em suspenso até ao final - apesar de não ter ficado contente com o final escolhido (demasiado surrealista). Foi uma leitura que me entreteve bastante. E acima de tudo, consegui manter a cabeça no sítio. :)

1 comentários:

Marisa Luna on 23/1/19 disse...

Boa tarde.
Deixei-te um desafio no meu blogue.
https://facesdemarisa.blogspot.com/2019/01/tag-perguntas-literarias-01.html

Beijinhos grandes

ALGUNS DOS TÍTULOS QUE MAIS ME AGRADARAM NOS ÚLTIMOS TEMPOS

ALGUNS DOS TÍTULOS QUE MAIS ME AGRADARAM NOS ÚLTIMOS TEMPOS

Um dos melhores do ano!

Os Testamentos - a sequela de A História de uma Serva

Os Testamentos - a sequela de A História de uma Serva
Leu o livro? Viu a série? O que espera para ler a sequela? Um final surpreendente para Gilead, e uma obra incrível vencedora bem merecida do Booker Prize.

Uma leitura obrigatória!

Uma leitura obrigatória!
“Moyes dá vida a um pedaço da história muitas vezes esquecido. (…) Uma carta de amor ao poder dos livros e da amizade.” Kirkus Review

Uma leitura imprescindível!

Leia o livro e depois veja o filme. Uma história verídica a não perder.

O clube de leitura do meu coração.

 

ASA

Quinta Essência

Planeta

Porto Editora

Bertrand

Lua de Papel

Cultura Editora

Oficina do Livro

Editorial Presença

Jacarandá

D. Quixote

Marcador

Clube do Autor

Livros d'Hoje

Casa das Letras

Suma de Letras

Vogais

Saída de Emergência

Círculo de Leitores

Esfera dos Livros

TopSeller

Objetiva

Visualizações de página na última semana

Copyright 2005-2019 Blogger Template Ipietoon (Adaptado por Fernanda Carvalho - a escrever sobre livros desde 2005)