Opinião: "Viagem ao Infinito" de Jane Hawking

Terminei esta leitura com um misto de sentimentos. Admiração, pela Jane Hawking e pelo seu percurso de vida, e algum ressentimento por Stephen Hawking, cuja personalidade nunca me cativou e agora, de certa forma, me chocou.
Adorei o livro. A forma como está organizada a história, a honestidade que sentimos na voz de Jane Hawking, a maneira como ela consegue interligar os acontecimentos, tanto da sua vida particular e familiar, como da vida “de estrelato” do marido, à qual ela não pode escapar. Confesso que fiquei arrepiada com algumas das situações pelas quais Jane teve de passar, quase se anulando, vergando-se às vontades do “Senhor do Universo”, cognome para esse brilhante físico teórico que se chama Stephen Hawking.

É certo que ele vem lutando contra o destino desde que lhe foi diagnosticado ELA (esclerose lateral amiotrófica) quando tinha 24 anos, mas Jane foi uma grande aliada nessa guerra, não aceitando nunca o diagnóstico inicial de apenas 2 anos de vida para Stephen. Mesmo com essa sentença de morte sobre a sua cabeço, ela aceitou o desafio de embarcar numa viagem em conjunto, tendo conseguido intercalar uma vida dita “normal”, filhos e uma carreira, no cenário de uma guerra sem tréguas contra a ELA, durante mais de 25 anos.

Este livro autobiográfico de Jane Hawking deu origem ao filme A Teoria de Tudonomeado para 5 Óscares e  do qual saiu o Óscar de Melhor Ator Principal para Eddie Redmayne, que interpretou Stephen Hawking.
Por acaso tenho falado com alguns amigos e pelo que percebo a maioria preferiu ver o filme em vez de ler o livro. Eu optei por ler primeiro o livro e só depois ver o filme, e parece-me que fiz bem, pois pelo que li numa entrevista que Jane deu quando esteve há pouco tempo em Portugal, o filme deixa muita coisa de fora. Além disso, pelas críticas que li, o realizador centrou o filme no Hawking errado, o que na realidade seria expectável, pois Stephen é que é o génio da lâmpada… Jane só esteve por trás dele, como a Grande Mulher que foi e é.

Uma leitura a não perder. Uma história de vida arrepiante que servirá de exemplo para muita gente.
E vão mais 5 estrelas para o meu céu literário de 2015. J


Recado para o meu marido: Já podemos ir ver o filme!

5 comentários:

Rosana Maia on 24/2/15 disse...

Olá :)

Para começar, gostei muito de ler a tua opinião!
Quero muito ler o livro, mas fui das pessoas que viu o filme primeiro :). No entanto, confesso que saí de lá desiludida e frustrada, contrariamente a muitas pessoas que o adoraram. E com isto não quero dizer que não seja um bom filme, mas causou em mim sentimentos variados.
E aqui entra a tua opinião em sintonia com o que pensei.
Penso que o filme dá uma visão demasiado esperançosa do que é esta doença e do que é a vida assim, quer para Stephen, quer para Jane. Mas quando senti tudo isto, assumi que pensava assim por estar no curso de Medicina, o que, de certa forma, influencia a minha maneira de ver as coisas. Mas agora que leio a tua opinião acredito que o livro me possa agradar mais do que o filme, para variar :).
Fez-me alguma confusão o Stephen ser uma personagem brilhante e cheia de privilégios. Quem dera a tantos doentes com ELA ter direito a TUDO o que ele teve direito. Quem dera a tantos doentes que apesar do atingimento da doença ter tantos meios para comunicar com as pessoas. E claro, não menos importante, quão injusta foi esta vida para Jane?
Acredito mesmo que seja um bom livro! Tem tudo para tal! :)

(acho que é o meu maior comentário de SEMPRE)
Beijinhos, Rosana

Filipa Lemos on 24/2/15 disse...

Vou ver se consigo ler primeiro o livro!! :)

Vanda Silva on 26/2/15 disse...

Gostei muito da opinião. Eu sou das pessoas que já viu o filme, mal saiu, não consegui resistir. E adorei. Dos melhores que já vi. E pensava que depois poderia não ter vontade de ler o livro mas isso não aconteceu. Vou querer ler. Ainda para mais agora com a tua opinião. Quero perceber mais desta história de vida. ;)

Line Marques on 16/5/15 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Line Marques on 16/5/15 disse...

Amei o filme e estou curiosa pra ler o livro. Desde já sei que ficarei mais confusa, o filme foi baseado na obra de Jane, deixando uma tendência a sua personagem, apesar disso não a isentando de suas culpas. Algumas vezes contradizendo declarações de Stephen, no filme mostra que ele aceitou bem o fato de conviver com o amante, mas suas declarações demonstra o contrário...
Os erros nao tiram seu mérito, é inquestionável a mulher brilhante que Jane é e quanto sua vida baseada em sacrifício e renúncias, fez tudo por sua família. Fiquei ainda mais admirada por Stephen com sua coragem e determinação, demostrando que tudo é possível e sempre superando obstáculos! Vi que tem uma biografia escrita por ele e já quero..

Diane Chamberlain... já conhece esta autora?

Sveva Casati Modignani

Paulo Coelho está de volta!

Jojo Moyes - novo livro!

A não perder...

Novo livro

 

ASA

Quinta Essência

Planeta

Porto Editora

Bertrand

Lua de Papel

Chiado Editora

Oficina do Livro

Editorial Presença

Jacarandá

D. Quixote

Clube do Autor

Livros d'Hoje

Casa das Letras

Suma de Letras

Vogais

Saída de Emergência

Esfera dos Livros

TopSeller

Objetiva

Marcador

Visualizações de página na última semana

Copyright © 2005-2016 Blogger Template (Adapted by Fernanda)